Categorias
Alta Costura

19M: detalhes sobre a sede do Métiers d’Art da Chanel

A abertura oficial do 19M da Chanel aconteceu neste fim de ano, na capital francesa. Eu já fui conferir de perto e não poderia deixar de compartilhar detalhes da experiência. Sabe por quê? A minha próxima turma presencial do Paris Style Week, em março de 2022, terá o privilégio de uma visita exclusiva e incrível ao local.

O moderno edifício contempla ateliês especializados em bordados, flores, plumas e joias, entre outros ramos. Trata-se da sede do Métiers d’Art da maison, ou seja, as profissões de arte, que estão por trás das criações de alta-costura e representam o handmade.

19M da Chanel

Segundo a própria maison Chanel, a fundadora Coco Chanel entendeu que o seu trabalho teria mais significado se ela trabalhasse com artesãos. E essa ideia valorosa sempre permaneceu na casa de luxo.

Não à toa, a grife desenvolveu o complexo para abrigar os ateliês que trabalham para a haute couture. O 19M comporta mais de 600 artesãos de diferentes áreas. Alinhado com os valores da Chanel, o espaço foi pensado para que os profissionais se sintam acolhidos, confortáveis e respeitados.

Quer saber o significado do nome? Em discurso, Bruno Pavlovsky, presidente de moda da Chanel, explicou: “M é de Métiers d’Art, M de moda, M de mão, e M de maison e manufatura, mostrando a nossa união absoluta com os artesãos. E 19 porque estamos no 19º arrondissement e porque é o dia em que Gabrielle Chanel nasceu”, detalhou o executivo.

19M da Chanel
Valeria Doustaly | Blog Paris Style Week
Edifício 19M, da Chanel, em Paris
Chanel/Divulgação

Os ateliês e o artesanato

O 19M reúne 10 das casas especializadas da divisão Paraffection, criada em 1997 pela Chanel para compilar todas as suas marcas de Métiers d´Art. Atualmente, engloba cerca de 25 empresas diferentes e seus arquivos históricos. 

No local, estão funcionando as casas de bordado Lesage, o ateliê Montex e MTX, o seu departamento de decoração, Lemarié (flores e plumas), Massaro (sapateiro), Maison Michel (chapelaria), Lognon (pregas) e Goossens (ourives).

Não é um lugar qualquer. Todos os ambientes do 19M são muito especiais. É um lugar único no mundo. Todo o prédio é destinado a enaltecer o artesanato, que é o trabalho mais importante da moda, pois nenhuma máquina pode substituir as técnicas manuais. 

O objetivo do 19M é preservar e desenvolver o savoir-faire dos artesãos e de suas obras. Afinal, trata-se de um segmento que deve ser passado por muitas gerações da história da Chanel e das marcas parceiras. Um verdadeiro e indispensável legado.

Bordado Lesage
Paul Lehr/Lesage/Chanel/Divulgação
Plumas Lemarié
Paul Lehr/Lemarié/Chanel/Divulgação
Bordado Lesage
Paul Lehr/Lesage/Chanel/Divulgação
Flores Lemarié
Paul Lehr/Lemarié/Chanel/Divulgação

 

Vale destacar que, na moda sustentável, o 19M tem muito valor. Não somente pelo foco no artesanato e em relação à área de recursos humanos e da valorização dos funcionários, mas também como um prédio novo que foi desenvolvido para cumprir critérios ecológicos, como o uso de menos energia. O design foi idealizado para que entre luz natural em todos os andares. Também há um jardim interior.

O projeto do 19M é do arquiteto francês Rudy Ricciotti; fato que logo me fez lembrar do Mucem (Museu da Civilização da Europa e do Mediterrâneo), que fica em Marseille e também foi projetado por ele. O jogo de sombras das estruturas, que são similares, deixa tudo mágico.

Situado no bairro Porte d’Aubervilliers, o edifício 19M tem 25 mil metros quadrados, planejados sob medida. Com 24 metros de altura, divididos em um complexo de cinco andares, a estrutura externa é feita com cimento e tecidos entrelaçados.

Miniatura 19M
Valeria Doustaly | Blog Paris Style Week
19M, da Chanel, em Paris
Valeria Doustaly | Blog Paris Style Week
19M
Valeria Doustaly | Blog Paris Style Week

 

Como conhecer o 19M pessoalmente

A entrada no prédio é extremamente limitada e exclusiva. Por isso, conhecer o 19M é uma oportunidade imperdível. E você pode ter a chance de visitar o edifício icônico e rebuscado, em Paris, comigo! Basta se inscrever na próxima edição presencial do meu programa Paris Style Week.

A programação, que acontecerá de 14 a 18 de março de 2022, incluirá diversas experiências de moda, em meio ao glamour parisiense. Entre em contato pelo e-mail [email protected] para ter os detalhes da inscrição.

Categorias
História da moda

Karl Lagerfeld: 10 cenários icônicos de desfiles da Chanel no Grand Palais

Um dos estilistas mais admirados de todos os tempos, Karl Lagerfeld (1933-2019) construiu um legado memorável. Há quase três anos, a morte do designer abalou o mundo da moda. Simultaneamente, ele comandava sua grife homônima, e atuava na direção criativa da Fendi e também da Chanel. Na grife francesa, a trajetória do alemão foi consagrada para sempre. Um dos pontos mais marcantes eram os cenários deslumbrantes de desfiles para a Chanel. Eram realizados principalmente no tradicional edifício Grand Palais, um dos lugares imperdíveis para quem visita Paris, como já citei por aqui.

via GIPHY

Quem foi Karl Lagerfeld

Karl Lagerfeld nasceu em Hamburgo, na Alemanha. Na década de 1950, o designer se mudou para a capital francesa. No início da carreira, foi assistente de Pierre Balmain. Nos anos 1960, Karl Lagerfeld começou a trabalhar na Chloé, grife na qual permaneceu durante 20 anos.

Tornou-se diretor criativo da Chanel em 1983. Na maison, ficou conhecido por levar modernidade e autenticidade, sem deixar de lado o DNA desenvolvido por Gabrielle Chanel. Tanto a fundadora da label quanto Karl Lagerfeld estão no meu curso “10 Estilistas que você deve conhecer”.  

Sobre Gabrielle Chanel, Karl Lagerfeld disse: “Meu trabalho não é fazer o que ela fazia, mas o que ela teria feito. O incrível sobre a Chanel é que é uma ideia que pode se adaptar a muitas coisas”. O trabalho do alemão tinha provocação, mas sempre com um toque chique.

Karl Lagerfeld
Chanel/Divulgação

Chanel com Karl Lagerfeld

Cenografias extravagantes, performáticas e criativas passaram pelo repertório de apresentações para as coleções de Cenografias extravagantes, performáticas e criativas passaram pelo repertório de apresentações da Chanel by Karl Lagerfeld, para as coleções de prêt-à-porter e de alta-costura. Aeroporto, supermercado, cassino, iceberg e praia estão na lista de inspirações que deram vida aos shows nas semanas de moda de Paris.


Carrossel 

No outono/inverno 2008/9, para o prêt-à-porter da Chanel, por exemplo, as peças da nova coleção foram reveladas com modelos em um carrossel. No fim do show, Karl Lagerfeld desceu de um escada em meio à estrutura giratória.

Carrossel da Chanel
YouTube/Reprodução
YouTube/Reprodução


Geleira

Já no fall/winter 2010/11, de prêt-à-porter, o Grand Palais recebeu um grande iceberg fictício. Em meio à réplica de uma geleira, os looks eram apresentados. A água no chão fez toda diferença na composição do cenário.

Geleira em desfile de moda
YouTube/Reprodução


Supermercado by Karl Lagerfeld

Outro cenário marcante pensado por Karl Lagerfeld para a Chanel foi o do ready-to-wear de outono-inverno 2014/15. O Grand Palais foi transformado em um supermercado. Produtos alimentícios preencheram as prateleiras com símbolos da Chanel. Para ficar ainda mais condizente com o cotidiano, o próprio designer e as modelos entraram no ambiente empurrando carrinhos de compras.

Supermercado em desfile da Chanel
YouTube/Reprodução
Supermercado em desfile da Chanel
YouTube/Reprodução
Karl Lagerfeld e Cara Delevingne
YouTube/Reprodução


Brasserie

Uma típica brasserie parisiense foi o cenário escolhido para o desfile de outono/inverno 2015/16 no prêt-à-porter. Com direito a mesas, bancada e até garçons, o ambiente imaginado foi nomeado Brasserie Gabrielle, em homenagem à Coco Chanel.

Brasserie da Chanel
YouTube/Reprodução


Cassino by Karl Lagerfeld

Para exibir a coleção de fall/winter 2015/16, na alta-costura da Chanel, Karl Lagerfeld não economizou na imaginação. O ar misterioso de um cassino de luxo foi retratado no Grand Palais. Mesas de blackjack, roletas e máquinas caça-níqueis incrementaram a performance.

Cassino em cenário de desfile
YouTube/Reprodução


Aeroporto

Vamos voar? Embarque com a Chanel Airlines! Na temporada de primavera/verão 2016, de ready-to-wear, o Grand Palais virou a réplica de um aeroporto. Os looks foram apresentados no terminal de fantasia da grife francesa, com imitações de balcões de check-in e muitas bagagens.

Aeroporto em cenário de desfile da Chanel
YouTube/Reprodução
Aeroporto em cenário de desfile da Chanel
YouTube/Reprodução
Karl Lagerfeld no spring/summer 2016 da Chanel
YouTube/Reprodução


Base espacial

Que tal mais uma viagem? Desta vez, com destino ao espaço sideral! No outono/inverno 2017/18 (prêt-à-porter) da Chanel, Karl Lagerfeld criou uma base espacial fictícia com um foguete em tamanho real.

Foguete da Chanel
YouTube/Reprodução


Floresta

Já imaginou uma floresta montada no Grand Palais? Foi exatamente isso que Karl Lagerfeld preparou para a temporada de outono/inverno 2018/19 de prêt-à-porter. Folhas cobriram o chão e nove carvalhos reais cobertos de musgos foram colocados no centro do cenário. Contudo, o desfile da Chanel não agradou ativistas ambientais e gerou polêmica à época. Em contrapartida, a maison prometeu plantar 100 novas árvores na mesma região de onde foram retiradas as usadas no show.

Floresta da Chanel em desfile
YouTube/Reprodução
Karl Lagerfeld em desfile da Chanel
YouTube/Reprodução

Praia

A primavera/verão 2019 da Chanel no prêt-à-porter teve referências à beira-mar. O Grand Palais recebeu nada menos que uma praia, em uma releitura da ilha de Sytl, onde Karl Lagerfeld passava férias na juventude. Areia, ondas, salva-vidas e barracas de madeira deram tom ao desfile.

Cenário de praia em desfile da Chanel by Karl Lagerfeld
YouTube/Reprodução
Cenário de praia em desfile da Chanel by Karl Lagerfeld
YouTube/Reprodução
Karl Lagerfeld e Virginie Viard no spring/summer 2019 da Chanel
YouTube/Reprodução


Riviera Francesa

O ar pacato da Riviera Francesa também foi inspiração para os cenários da Chanel. Para o desfile de primavera/verão 2019, de alta-costura, o estilista pensou em uma passarela com piscina cercada de palmeiras. A ideia era criar uma espécie de vila mediterrânea.

Vale destacar que o evento aconteceu em janeiro de 2019, mês anterior à morte de Karl Lagerfeld. Na ocasião, o designer já estava com problemas de saúde e não compareceu. A então diretora do estúdio da marca, Virginie Viard, representou Karl Lagerfeld para receber os aplausos finais. Atualmente, ela é a diretora criativa da Chanel.

Cenário de desfile da Chanel
YouTube/Reprodução
Virginie Viard em desfile
YouTube/Reprodução

Karl Lagerfeld além da moda

Na moda, o talento e o reconhecimento de Karl Lagerfeld são inegáveis. No entanto, a carreira do alemão ultrapassou o segmento fashion. Ele também era apaixonado por fotografia. Em diferentes ocasiões, além de desenhar peças de vestuário, o estilista tirou fotos para campanhas da Chanel. 

Ao longo dos anos, Karl Lagerfeld realizou exposições fotográficas. Uma das mais conhecidas foi a mostra The Litttle Black Jacket, que reuniu imagens de mais de 100 celebridades e foi aberta em diferentes cidades pelo mundo. Entre elas, Tóquio, Nova York, Londres, Milão, Pequim e Xangai. Em 2012, a iniciativa foi inaugurada no grandioso Grand Palais, em Paris. Em 2013, chegou ao Brasil.

YouTube/Reprodução
Exposição The Little Black Jacket
YouTube/Reprodução

Antes de encerrar, tenho uma pergunta para você: já se cadastrou na minha newsletter? Preencha no fim da página! Ah, se tiver alguma sugestão para mim, escreva um comentário! Também não deixe de acompanhar o Instagram do Paris Style Week. Por aqui, no blog, os posts são publicados toda segunda-feira. Até o próximo! Fique de olho!